terça-feira, 26 de junho de 2007

Um cão muito perigoso...

De cada vez que um Doberman, Rottweiler ou Pit-bull mordem ou matam alguém logo surgem os defensores da irradicação desta raça. Quer seja por execução sumária ou proíbição de venda. Eu acredito mesmo que não são as raças de cães que influenciam a sua agressividade mas sim o treino que recebem e, muito importante, a personalidade do cão. Quem tem ou já teve cães sabe que estes têm personalidades diferentes e, tal como as pessoas, uns têm a propensão para a violência e outros não. Mesmo assim continuam a ser a maioria aqueles que não fazem mal a uma mosca e que adoram o dono independentemente da sua idade, raça, sexo ou credo...
Mas ok, querem irradicar estas raças chamadas de perigosas certo?
Olhem para o exemplo deste cão abaixo e digam-me se merece ser abatido por ter nascido pit-bull...

2 comentários:

Carla Cristina disse...

Parabéns pelo Blog, muito lindo!!!e parabéns por amostrar o outro lado do pit bull, que tratado com carinho, amor e responsabilidade se torna o melhor cão do mundo,hehe, pelo menos no meu ponto de vista, sou apaixonada por essa raça e tenho um exemplar que cada vez mais me da mais orgulho por ser tão carinhoso, receptivo, companheiro e sempre pronto a aprender...

NM disse...

Obrigado pelo comentário!
Coloquei aqui este post para as pessoas verem que os cães não são genéticamente perigosos e maus... Mas mesmo assim há alguns que têm a propensão para a violência. Mas não se pode generalizar por raça. O meu cão é pequeno, raçado de Yorkshire terrier e é mau como as cobras! Até aos donos ferra de vez em quando... Não me venham dizer que é da raça porque a mãe e o (suposto) pai dele eram supercarinhosos com os donos e visitantes. Tem tudo a ver com alguns erros que se vão fazendo como deixar que ele coma antes de nós ou tenha acesso a todas as divisões da casa. Para alguns cães isso é sinal de eles serem lideres da matilha e daí nascem alguns daqueles casos de crianças atacadas por cães ciumentos... Volte sempre!