domingo, 27 de julho de 2008

"Home is where the heart is"

É uma frase antiga e verdadeira... Casa é onde o coração se abriga e recolhe.
E para mim ter o coração dividido entre "casas" é uma situação que pode acabar tanto bem como mal...

Essas três "casas" são, por ordem de descoberta: Porto, Lisboa e Londres.
Se Porto é a minha cidade-mãe, se Lisboa é o sitio onde me sinto maior e mais forte... Londres é paradigmático.

Pode-se dizer que isto é o encantamento da minha primeira grande viagem... Quando puder vulgarizar estas viagens de 3 dias e ir a mais locais logo digo se me apaixonei da mesma forma mas há algo sobre Londres...

Não hajam ilusões... Eu já fui para lá a adorar aquilo, se assim não fosse não tinha ido mas quando lá chego, no coração do distrito económico, foi amor à primeira vista. Tudo tão maior, urbanamente aromático, sofisticado, multi-cultural...
Tão tudo.

Os Londrinos têm locais para onde ir a correr... atravessam a rua com o vermelho e a milímetros dos táxis que passam a rasar sem abrandar ou apitar... As executivas são autênticas dominatrixes sexy enquanto as miúdas que passeiam não passam de pequenitas Victorias Beckham... Os tipos são porreiros e dizem sempre "Cheers mate" a soar "xis may".

E depois tive os prazeres privados como chegar ao hostel todos os dias, descalçar as sapatilhas e ir ler o jornal do dia para a janela com os pés na varandinha; comer uma sande de bacon e ovo do Tesco sentado na base da Nelson's Column virado na direcção do Big Ben; gastar 3 euros num Grande Caramel Machiatto do Starbucks e passear a bebê-lo numa zona onde Lamborghinis, Ferraris, Bentleys e Rolls Royces são carros comuns; comprar uma garrafa de sumo natural de laranja na Tate Modern e ir bebendo ao longo da Millenium Bridge...

"A vida é feita de pequenos nadas" - Sérgio Godinho

Amanhã há fotos...

1 comentário:

aminhamaneira disse...

*suspiro*
welcome back,
xis may!